QUEM SOMOS   I   CONTATO

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Juara/MT - 19 de Agosto de 2017
notícias
 Mato Grosso
     
Crianças de 8 e 10 anos se perdem em floresta e são resgatadas após 16 horas em MT

 Duas crianças, de 8 e 10 anos, se perderam em uma área de floresta e foram resgatadas depois de 16 horas, na madrugada desta sexta-feira (11) em Colniza, a 1.065 km de Cuiabá. De acordo com a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros, o menino, de 8 anos, e a menina, de 10, são irmãos e saíram de casa para buscar uma ferramenta que o pai havia deixado perto da mata.A família mora em uma propriedade no Assentamento 1º de Maio, que fica próximo a essa área florestal, a 10 km de Colniza.


Segundo os bombeiros, a floresta densa dificultou as buscas. As crianças afirmaram que foram buscar uma enxada que estava não muito distante na mata, no entanto, erraram a direção na volta e se distanciaram cada vez mais.Os dois irmãos estavam assustados, com fome e sede, com arranhões pelo corpo. Quando perceberam que se perderam, eles cortaram folhas de coqueiro usando as mãos e improvisaram uma cama para passarem a noite.

As crianças se perderam no final da tarde para o início da noite, ainda na quinta-feira (10) e só foram encontradas por volta de 4h desta sexta-feira. Elas passaram todo esse tempo sem água ou comida. A família tentou localizar as crianças por conta própria, entretanto, sem ter sucesso, comunicaram o desaparecimento perto da meia-noite.Cinco policiais militares e três bombeiros se dividiram, a 20 metros entre cada um, e adentraram na mata fechada para encontrarem as crianças perdidas. A soldado Cláudia Kafer, que encontrou as crianças, conversou com o G1 sobre a dificuldade em resgatar os irmãos em uma área de difícil acesso e úmida. Além do cansaço físico e dificuldade em andar nessa floresta, a equipe não tinha sinal telefônico na área.“Os familiares entraram nessa mata, por três vezes, para tentar encontrar as crianças, mas não conseguiram. Eles nos chamaram por volta de meia-noite e dividimos a equipe dos policiais e bombeiros. Fomos nos conduzindo por gritos, chamando as crianças. Foi muito difícil, até que por volta de 2h15 começamos a ouvir a voz do menino pedindo socorro”, disse a PM ao G1.Por se tratar de uma área extremamente fechada, a equipe de resgate estava com receio de que algum animal perigoso atacasse as crianças na mata.

“Conseguimos encontrar as crianças através dos gritos. Nos conduzimos ouvindo a voz deles [dos irmãos] e dos outros policiais. Elas [as crianças] tinham feito uma cama improvisada, usando folhas de coqueiro. Como não tinham faca, usaram as mãos para quebrarem os galhos e fazer a cama. As mãos estavam machucadas por isso”, percebeu a policial.As crianças estavam assustadas, mas sem ferimentos graves. Eles contaram que dormiram na mata e perderam a noção do tempo, já que não sabiam onde estavam.Depois de encontrá-las, a equipe teve outro desafio: conseguir sair da mata fechada. “Eles andaram muito, calculamos que percorreram 10 km dentro da mata. Essa área tem 1,7 mil hectares”, pontuou Kafer.Os policiais e bombeiros colocaram as próprias fardas militares nas crianças, que reclamavam que estavam com frio. A menina de 10 anos foi carregada nas costas por Kafer até a saída da mata.“Em um momento dentro da mata achamos sinal telefônico, consegui ligar para o quartel e pedi para o policial acionar o bombeiro [que aguardava o retorno fora da floresta] que ligasse a sirene da viatura dos bombeiros. Foi aí que conseguimos ter uma orientação e sair da mata”, finalizou a policial.As crianças foram recebidas pela mãe e levadas para dentro de casa. O pai das crianças, durante as buscas, foi picado por um escorpião e levado até o hospital da região, onde foi internado.




Fonte: G1MT
 0 Coment√°rios  |  Comente esta mat√©ria!
 Mais Mato Grosso
18/08/2017
17/08/2017
 menos  1   2   3   4   5   6   7   mais 
Artigos
Enquete

In√≠cio   -   Eventos   -   V√≠deos   -   Artigos   -   Empregos   -   O Povo Reclama   -   Recados   -   Conhe√ßa Juara
© 2017 - Juara Net