QUEM SOMOS   I   CONTATO

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Juara/MT - 18 de Janeiro de 2018
notícias
 Pol√≠tica
     
"Passo o dia todo fazendo contas, buscando recursos", diz Pedro Taques

Imagem:Reprodução


 VINÍCIUS LEMOS E CÍNTIA BORGES 


O governador Pedro Taques (PSDB) afirmou, na tarde desta sexta-feira (1), que passa o dia inteiro fazendo contas e buscando recursos para tentar resolver a crise financeira enfrentada por Mato Grosso.No entanto, o tucano afirmou que não tem conseguido encontrar tais recursos e, por isso, o Estado tem enfrentado dificuldades nos repasses em diversos setores, entre eles a Saúde e o pagamento do funcionalismo público.A declaração foi feita durante o lançamento da plataforma Mira Cidadão, ferramenta de monitoramento das contas públicas do Estado.Durante o evento, o governador discursou e comentou sobre a situação financeira do Estado. Ao lamentar as dificuldades enfrentadas pelo Executivo, o governador afirmou que tem tentado de diversas formas obter recursos para salvar a economia de Mato Grosso. 

“Eu, como governador, passo o dia inteiro fazendo contas, buscando recursos, e não conseguimos. Nós passamos o dia inteiro cortando gastos. Economizamos R$ 1 bilhão em um ano, com a criação do Cira [Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos]. Com a participação imprescindível do Ministério Público, nós recolhemos aos cofres públicos R$ 600 milhões, talvez um pouco mais”, declarou.

 “Como governador, eu não fabrico dinheiro. Eu tenho que economizar dinheiro, eu tenho que aplicar corretamente”, completou.O tucano justificou que grande parte das dificuldades enfrentadas pelo Estado é originada da gestão do ex-governador Silval Barbosa.“Mato Grosso foi arrombado. Porque hoje o nosso Governo não teve condições de pagar os servidores públicos. Porque hoje o governo deve quase R$300 milhões à saúde. Porque hoje nós estamos gastando mais do que a Lei de Responsabilidade Fiscal determina. Porque roubaram Mato Grosso e ninguém viu”, disse.“Não há um contrato que tenha sido auditado pela Controladoria que não tenha problema. De todos os contratos da delação do Silval Barbosa, 80% a controladoria já tinha identificado”, acrescentou. 

Ele ainda comentou que o governo dele já teve casos de corrupção – como o esquema de fraudes na Secretaria de Educação, durante a gestão do ex-secretário Permínio Pinto –, porém assegurou que sempre prezou pela fiscalização.“Já tivemos corrupção no nosso Governo, um dos momentos mais tristes da minha gestão. Triste e alegre. Triste porque a corrupção é muito ruim, alegre porque as instituições precisam funcionar. Isso faz parte da democracia”.

 “Mas o nosso Governo não tem medo da fiscalização. Não tem medo de controle. Quando chega ofício do Ministério Público, eu dou graças a Deus. Porque eu tenho alguém que esta buscando determinar que eu faça a coisa certa”, afirmou.O governador assegurou que não teme que sua gestão seja fiscalizada e por isso afirmou que o Mira Cidadão sempre foi um de seus maiores sonhos, desde que assumiu o Governo do Estado.“Nós não queremos um Estado que viva na escuridão. Mas por que nós não contratamos médicos? Por que a saúde esta atrasada? Por que, eu como governador, não tive condições de pagar salário, hoje, dos 100 mil servidores desse Estado? Sabe por quê? Porque esse Estado foi arrombado durante cinco anos. Porque se faziam negócios dentro desse Palácio”, declarou.Por fim, Taques afirmou que se sente mal em ver a atual situação da economia de Mato Grosso.“Hoje não temos condições de pagar os salários de 100 mil servidores. Nós não tivemos condições de pagar todas as dívidas que temos com a Saúde. Isso dói para mim como administrador. Eu queria pedir aos senhores para, quando chegarem em casa, colocarem a cabeça no travesseiro e apagarem a luz: onde nós estávamos?”, disse, fazendo mais uma crítica à gestão de seu antecessor.

 Recursos federais 

Diante das dificuldades enfrentadas pelo Estado, o governador aguarda recursos federais para que possa sanar as dívidas do Estado e fazer os repasses aos Poderes e quitar a folha salarial. Entre os recursos aguardados pelo tucano estão R$ 496 milhões do Fundo de Auxílio Financeiro de Fomento às Exportações (FEX), emendas da bancada federal, pagamentos de dívidas da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), além da recuperação fiscal do Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (Cira)




Fonte: Midia News
 0 Coment√°rios  |  Comente esta mat√©ria!
 Mais Pol√≠tica
18/01/2018
17/01/2018
16/01/2018
 menos  1   2   3   4   5   6   7   mais 
Artigos
Enquete

In√≠cio   -   Eventos   -   V√≠deos   -   Artigos   -   Empregos   -   O Povo Reclama   -   Recados   -   Conhe√ßa Juara
© 2018 - Juara Net